//
Publicada em: 13/05/2015 -



APRENDIZADO DO FUTURO - Trabalho pedagógico estimula desde cedo o hábito da leitura entre alunos do Ensino Fundamental

Uma viagem ao mundo das letras e da fantasia



Por Secretaria de Comunicação Social
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br
A Prefeitura investe em trabalhos com assinaturas de gibis da Turma da Mônica, além de doações de livros da Biblioteca Municipal
A Prefeitura investe em trabalhos com assinaturas de gibis da Turma da Mônica, além de doações de livros da Biblioteca Municipal


Presente no nosso dia a dia, a leitura é um instrumento essencial para quem deseja seguir nos estudos. E na E.M. Carlos Augusto G. da Silva, o hábito de ler é incentivado desde cedo, em uma ação desenvolvida pela Prefeitura de Itanhaém, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes. Histórias de ficção dos livros e gibis dão asas à imaginação dos alunos, que começam a descobrir um universo novo de conhecimento para explorar.

Siga a Prefeitura de Itanhaém no Twitter e no Facebook

Crianças e jovens matriculados na rede são incentivados a frequentarem salas de leitura e bibliotecas das escolas municipais. Para isso, a Cidade investe em trabalhos com obras enviadas por meio do Plano Nacional de Bibliotecas Escolar (PNBE), assinaturas de gibis da Turma da Mônica, além de doações de livros da Biblioteca Municipal.

Na E.M. Carlos Augusto G. da Silva, a oralidade e a fantasia são trabalhadas regularmente como instrumentos de familiarização com o hábito da leitura já nos anos iniciais do Ensino Fundamental. A proposta é familiarizar o ambiente com os alunos e valorizar o hábito da leitura.

“Gosto de ver as figuras e fico imaginando a história. Meu livro predileto é da Cinderela, gosto de ver o colorido”, conta a aluna Giovanna Costa Zinnermann. “Gosto muito de livros, das palavras e, principalmente, dos desenhos”, complementou a estudante.

Como em um clube de leitura, cada aluno escolhe seu livro ou gibi e, a partir das ilustrações, tentam adivinhar a história. Outro ponto interessante é que ao final das atividades, os professores leem um livro e conversam com os estudantes sobre a trama e os temas abordados.

Para a professora do 1º ano, Roseli Delmiro da Silva Schneider, é importante que as escolas usem os espaços de leitura. “Nós trabalhamos com leituras compartilhadas todos os dias. O professor é o contador de história e o aluno é ouvinte. Por causa dos personagens dos gibis, eles se apaixonam cada vez mais pela leitura”, concluiu.



Palavra-chave: escola    leitura    livros  



       indique-amigo

Enviar essa matéria por e-mail